CRISE FOI CRIADA DE PROPÓSITO PELOS COMUNISTAS – isto Greenhalgh já afirmava desde 1999…

Sergio Mazza

19:00 (Há 11 horas)
ALDOvermelho

 

Especialistas dizem que crise foi criada de propósito pelo governo Dilma

Basicamente, o Foro de São Paulo e o PT através de Lula e Dilma tem um projeto de poder como na Venezuela, Cuba, Rússia, China, Coreia do Norte e outros países que usaram a democracia como meio para chegar o poder. Uma vez no poder, fazem o diabo para não sair mais.

(DETALHE DA FOTO DE ARQUIVO: OLHEM BEM QUE ESTÁ NA MESA: Maduro, Mujica, Putin, Dilma, Evo Morales e uma galera esquerdopata, tarada por dinheiro e poder).

Agora, o discurso do PT é de que “o PT não chegou ao poder, o PT chegou à presidência da república. Para fazer mais pelo Brasil, o PT precisa de mais poder”. “Que só o PT poderá salvar o país da crise e da miséria etc etc” .

E advinhem, foi o Foro de São Paulo, o PT, Lula e Dilma que criaram a crise para deixar o povo, além de desarmado de armas, desarmado de dinheiro e totalmente necessitado e submisso. Dinheiro, o Brasil tem de sobra, basta ver que mesmo com toda a roubalheira, a coisa, ainda que capengando, segue. Resumindo: só há uma chance para o povo brasileiro: tirar logo o PT da presidência, antes que consiga mais poder, por que se isso acontecer, aí meus amigos, minha amigas, só indo embora para os States, porque a coisa aqui será um inferno pior do que Rússia, China, Cuba e Venezuela. E não está longe disso acontecer. Povo necessitado, ferrado 24 horas por dia, esquece facilmente as coisas, aceita qualquer esmola que vier e adota o discurso do ‘roubam mas fazem, tá ruim mas tá bom’ e por aí vai.

E não se esqueçam de um detalhe importantíssimo, com quase 13 anos na presidência, e pelos escândalos de corrupção, um maior que o outro, e que já fizeram sumir, seguramente, R$ 1 trilhão de Reais via Mensalão, Petrolão e BNDES-salão, dá para se ter ter uma idéia de quanto dinheiro lavado e estocado o PT tem para comprar quantos votos e eleições forem possíveis, sobretudo, com urnas crivadas de fraudes absurdas já denunciadas e por não ter oposição no Brasil. Ou seja, os canalhas tem dinheiro (roubado do povo) para tocar o terror e ficar no poder até acabarem com tudo e chegaram ao absolutismo, e pior, apoiados por alienados que acham que o PT e a esquerda, o Marxismo são a salvação do Planeta Terra.

DELFIM NETTO CONFIRMA QUE O PT FERROU O PAÍS DE PROPÓSITO

[…] A declaração de Delfim Netto, que chega a flertar com o governo bolivariano várias vezes (na verdade, se tiver uma ditadura, ele sempre a apoiará). Desatento, ele simplesmente confirmou o que venho dizendo há tempos:

“Até 2013, você não tinha grandes problemas (nas finanças). Havia alguma orientação equivocada. Mesmo as finanças públicas, que apresentavam um déficit de 3% do PIB, e a dívida pública representando 53% do PIB não eram nada trágico. Mas, em 2014, foi uma coisa deliberada. Eles destruíram as finanças públicas deliberadamente para obter a reeleição.”

É isso aí. Se alguns ainda querem acreditar que estamos lutando contra um governo “incompetente na gestão econômica”, é um direito. Assim como é um direito acreditar em mula sem cabeça. Mas no mundo dos sãos os fatos estão aí para serem observados: o governo petista tem sido competente demais em seu projeto de manutenção do poder, pelo qual eles precisam deliberadamente comprometer nossa economia. Diante disso, só se espera o óbvio como resultado. E o óbvio é o que temos.

************************************************************************************

 

Senhores
Na condição de testemunha da história  –sim, quem está com 82 anos pode se intitular testemunha da história– afirmo que se em 1964 o Gen Olympio Mourão não tivesse tomado a inciativa de colocar as tropas na rua, a sociedade teria sido subjugada pelos esquerdopatas.
Provavelmente, ele percebeu que se NÃO o fizesse, outro general NÃO tomaria a iniciativa, mas se o fizesse, lideraria a contra-revolução com o apoio dos demais.
Não sei dizer o que, recentemente, se passou na mente esclarecida do Comandante Militar do Sul, mas provavelmente ele não crê que a História possa se repetir. Ninguém melhor do que um general para aquilatar o que se passa nas mentes e corações dos seus pares.
Não me digam que os tempos são outros.
Sim, são outros.
Piores.
Lúcio
———- Mensagem encaminhada ———-
De:
Data: 8 de novembro de 2015 16:32
Assunto: OBSERVAÇÃO/ CRISE NÃO CHEGOU AO PLANALTO: DILMA AFRONTA O PAÍS COM LUXO E RIQUEZA 01
Para:

Amigo Jorge Geisel
 
Lamento que a revolução de 1964 tenha fracassado como reconheceu o seu líder maior General Olympio Mourão Filho. Na minha visão foi a última chance do Brasil reverter a sua condição de país rabo para um país cabeça.
 
Em 1964 o povo saiu às ruas pedindo a intervenção das Forças Armadas para livrar o Brasil do domínio demoníaco dos comunistas. Cabe lembrar que na época 100% da imprensa foram favoráveis (visite o meu site www.ricardobergamini.com.br) onde se encontram disponíveis todos os editoriais da imprensa na época. Podemos afirmar, sem sombra de dúvida, que o apelo era unanime e inconteste.
 
Entretanto foi visível o fracasso da revolução no seu objetivo primordial de exterminar os comunistas de nosso convívio, haja vista que após 20 anos de governos militares nos foi legado comunistas da periculosidade de José Dirceu, Franklin Martins, Dilma Rousseff, José Genuíno, dentre muitos outros. Cabe lembrar que não menciono o nome de Lula, visto considerá-lo um conjunto vazio, oportunista, sem nenhuma importância no cenário brasileiro da época.
 
O que agrava o acima colocado foi que a revolução também nos legou políticos aliados, não menos periculosos, tais como: José Sarney, Paulo Maluf e Antônio Carlos Magalhães, dentre muitos outros.
 
Cabe lembrar que o PT foi fundado em 1980, com apoio dos militares, idealizado pelo General Golbery Couto e Silva, com o objetivo de criar uma esquerda burocrática  (vazia de ideologia) para ocupar o espaço de uma possível esquerda ideológica.
 
Foi o General Golbery Couto e Silva quem excogitou e conduziu a reforma partidária de 1979. Nasceu ali, além do PDS que sucedeu à Arena, o PMDB liderado por Ulysses Guimarães, o PT por Lula, o PP por Tancredo Neves, o PTB, previamente entregue a Ivete Vargas pelo próprio chefe da Casa Civil, e o PDT de Leonel Brizola.
 
Em vista do acima exposto o revolucionário de primeira hora e líder incontestável da revolução de 1964, General Olympio Mourão Filho, já na década de 70, reconhecia e confessava o fracasso do movimento de 1964 em seu livro abaixo, assim sendo creio que o Brasil perdeu o trem da história da humanidade com esse fracasso.
 
Reflexão Histórica
Trecho extraído do livro intitulado: “MEMÓRIAS: A VERDADE DE UM REVOLUCIONÁRIO”, apresentado pelo historiador Hélio Silva, publicado em 1978, pela L&M Editores Ltda, sobre a participação do General Olympio Mourão Filho na Revolução de 1964.
“Quem não usar os olhos para ver, terá que usá-los para chorar!” (Foerster).
Porque a verdade é que alguns demônios andaram soltos neste país, enquanto a maioria desta Nação estava entocada, apavorada, os chefes militares prontos a se deixarem dominar, contanto que continuassem a viver, viver de qualquer maneira, sem coragem de arriscar as carreiras. Os pobres continuando pobres. A classe média e os ricos podendo morar e comer três vezes ou mais por dia. Os políticos em condições de aderir, permanecendo em sua profissão, maldita profissão. 
Os chefes militares, tolhidos por um falso legalismo, esperando que o Chefe do Executivo lhes dessem maiores motivos para a reação, imobilizados, atônitos e impermeáveis à compreensão dos fatos iniciados com o plebiscito e completados com o comício do dia 13 de março, surdos ao verdadeiro clamor de medo vindo de toda a Nação. Ainda mesmo depois dos deploráveis incidentes na Marinha, que estava ameaçada de destruição, havia chefe militar com a esperança vã de que o Chefe do Executivo recuasse, quando ele já não mais podia fazê-lo. 
Todos queriam viver, eis o problema. Eis o segredo do aparente sucesso dos demônios soltos no país. Minoria audaciosa que sabia usar os meios de que dispunham e que eram os máximos, oriundos desta maldita forma de governo que é o Presidencialismo. 
Ponha-se na Presidência qualquer medíocre, louco ou semi – analfabeto e vinte e quatro horas depois a horda de aduladores estará a sua volta, brandindo o elogio como arma, convencendo-o de que é um gênio político e um grande homem, de que tudo quanto faz está certo. 
Em pouco tempo transforma-se um ignorante em sábio, um louco em gênio equilibrado, um primário em estadista. 
E um homem nessa posição, empunhando nas mãos as rédeas de um poder praticamente sem limites, embriagado pela bajulação, transforma-se num monstro perigoso. 
Enquanto esse monstro é dirigido e explorado apenas pela lisonja, bajulado pela corte, a Nação sofre prejuízos de monta, é verdade, mas, apenas danos materiais em sua maioria e morais alguns. 
Quando, porém, sua roda é formada ou dominada por um bando refece de demônios, nesse momento a Nação corre os mais sérios perigos. 
Esta era a conjuntura do perigo e do terror na qual viveu o Brasil de 1962 a 1964. 
General Olympio Mourão Filho
 
Ricardo Bergamini
 
De: Jorge Geisel [mailto:jorge.geisel@gmail.com]
Enviada em: domingo, 8 de novembro de 2015 11:17
Para: undisclosed-recipients:
Assunto: OBSERVAÇÃO/ CRISE NÃO CHEGOU AO PLANALTO: DILMA AFRONTA O PAÍS COM LUXO E RIQUEZA
 
Quanto mais inconsciente de seus deveres de governante, maior será o pouco caso com relação aos custos supérfluos de seu mandato. O luxo despudorado, as despesas sem freios, são típicos de gente despreparada para governar com senso de responsabilidade.
Lembro-me muito bem de minha ída à Brasília, nos idos de 65, para resolver um caso pendente de burocracia federal. Aproveitei, então, para visitar meus tios, Ernesto e Lucy, na Granja do Torto, onde residiam. Tio Ernesto, na época, exercia a Chefia da Casa Militar do Presidente Castelo Branco. Convidado a hospedar-me em família, lá permaneci por dois dias. Pois bem, em meu último dia, tendo saído para resolver meu problema, retornei  antes do almoço. Senti vontade de tomar um uísque, quando o mordomo abrira  a adega, ainda recheada de bebidas finas do tempo de Jango. Pedi ao mordomo que me servisse um Chivas Regal 18, que eu avistara. Delicadamente, o mordomo disse-me que o General havia proibido o consumo pela família, parentes e amigos, das bebidas da adega oficial.
Serviu-me um uísque, bem longe da qualidade de um Chivas, fora da adega, comprado com o dinheiro do “chefe”…
Abraço, Jorge
 
Repasso
http://www.diariodopoder.com.br/style/images/images/jorge%20oliveira(2).jpg
JORGE OLIVEIRA
CRISE NÃO CHEGOU AO PLANALTO: DILMA AFRONTA O PAÍS COM LUXO E RIQUEZA
Brasília – As viagens da Dilma para o exterior são infrutíferas, não trazem benefícios ao país. Servem apenas para ela fugir da crise e gastar R$ 2 milhões por ano apenas com comida a bordo do avião presidencial, dinheiro do contribuinte que, como idiota, continua sustentando o luxo dela e bancando suas despesas em bons e sofisticados restaurantes lá fora. O jornalista José Casado, do Globo, fez um levantamento minucioso dos gastos da estrutura presidencial e chegou a números espantosos. Foram R$ 9,3 bilhões no ano passado para sustentar a entourage que gira em torno dela com alimentação, vestuário, viagens aéreas, servidores, jardinagem, deslocamentos internos e externos, carros, combustíveis, cartões corporativos, vigilância privada e órgãos à sua disposição. 
Essa despesa astronômica em um país em crise, mostra que a reforma ministerial da Dilma é pura balela. Como foi também para inglês ver o corte de 10% nos salários dos ministros. Não se conhece até hoje nenhum resultado positivo para a economia do país advinda das viagens da Dilma. O custo benefício é praticamente zero, danoso para a nação. Na verdade, o que se conhece muito bem são as suas gafes quando fala com a imprensa internacional. A mais recente delas é a da falta de tecnologia para “estocar ventos”. Esse folclore gerado por uma presidente tonta e descoordenada tem sido motivo de pilhérias e a descredencia a falar em nome do Brasil.   
A falta de preparo para enfrentar os problemas da economia, aliada a incompetência para colocar novamente o país nos trilhos do desenvolvimento, é fruto de erros sucessivos que se acumulam nos últimos cinco anos desse desgoverno, que tem na chefia uma presidente que caiu de paraquedas no maior cargo público da nação.
A última pesquisa mostra que os brasileiros não querem mais sustentar um governo  incapaz e inepto como esse. Os números indicam que de dez brasileiros, sete não a  querem mais no cargo, índice jamais alcançado por outro presidente no poder. Além da notória incompreensão dos problemas sociais e econômicos do país, a Dilma tem dificuldades para dialogar com os políticos e empresários, hoje órfãos de uma interlocução consistente. É desse vazio de comando que muitos petistas se prevalecem para assaltar os cofres públicos. 
Veja aqui apenas um aperitivo do que apurou José Casado para sustentar a sua matéria no Globo: “Ano passado, as despesas do núcleo administrativo diretamente vinculado a Dilma somaram R$ 747,6 milhões. Pouco mais da metade disso (R$ 390,3 milhões) foi usado para pagar assessoria e serviços prestados à presidente nos palácios onde trabalha e reside e durante as viagens. Dilma já custa para os brasileiros praticamente o dobro do que a rainha Elizabeth II e a família real para os súditos britânicos.                                                
O luxo anual:
-R$ 3 bilhões com serviço de vigilância privada pagos às empresas Confederal, TBI, Albatroz e Santa Helena Vigilância;
– R$ 220 milhões com serviço de manutenção do Palácio do Planalto;
– R$ 302 milhões gastou com festas e comemorações o ano passado;
– R$ 16 milhões com alimentação no Planalto. Desse total, uma fatia de R$ 1,3 milhão fica reservada para prover a despensa, os cardápios sob encomenda e a adega da presidente, com capacidade para 2.000 garrafas;
– R$ 7,4 milhões para manter 28 copas, por onde transitam 88 garçons e 58 copeiras impecavelmente vestidos;
– R$ 4 milhões anuais com jardinagem e irrigação do Palácio da Alvorada.
“Em viagens ao exterior”, segundo José Casado, “Dilma prefere hotéis às residências oficiais nas embaixadas brasileiras. Em junho, passou três dias numa suíte do St. Regis, em Nova York, decorada por joalheiros da Tiffany. Depois, passou um dia em São Francisco, Califórnia, no hotel Fairmont, cuja suíte principal tem um mapa estelar em folhas de ouro contra um céu de safira. O custo médio das diárias nos EUA foi de R$ 36 mil. Para servi-la e à comitiva foram contratados 19 limusines, 15 motoristas, dois ônibus e um caminhão para transportar bagagens. Custou R$ 360 mil. Em Atenas, na Grécia, em 2011, a presidente gastou R$ 244 mil numa “escala técnica” de 24 horas — mais de R$ 10 mil por hora”.
Pois é, é pura demagogia o corte de 10% que ela determinou nos seus salários  (R$ 26,7 mensais) e dos seus 31 ministros. E o brasileiro, coitado!, mesmo desempregado, continua sustentando essa orgia de gastos da presidencia. 
 Ver ainda:
 

 

Advertisements

Sobre liciomaciel

Velejador
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s