TEMPO PERDIDO NÃO SE RECUPERA

DilmaBrutucu2 cópia

TEMPO PERDIDO NÃO SE RECUPERA

Aileda de Mattos Oliveira (22/8/2015)

A egolatria, esse amor sem limites pelo próprio eu, fez Dilma colar-se à cadeira presidencial. Se fosse equilibrada, seguiria os ensinamentos dos mais categorizados, ou copiado as ações de quem, como ela, perdera a direção. Não há como encontrar o corredor de escape do labirinto que ela mesma construiu.

Conhecendo-se o grau de sua incapacidade, encurralou a si mesma, fechando todas as saídas. Nem mesmo o Teseu (1) brasileiro, Joaquim Levy, já dançando o fandango petista, conhece o caminho a tomar.

Com os mais experientes aprenderia que tudo tem seu tempo de acontecer e, se desperdiçado o momento por negligência ou arrogância, nada mais terá a fazer.

As mudanças de conjuntura de um país desgovernado são aceleradas, e impossível um remendo em situações que já vão distantes. Os tempos são mudados. O país acabado.

Dilma “pede tempo para cumprir promessas”, divulga o Estado de São Paulo, de hoje, 22 de agosto, p. A4 e A6, sem atinar que não há mais uma fração de segundo para usar de novas falácias, e que não há recuperação do tempo inexorável que deixou escoar.

Gastou-o em traição ao país; cedeu a ordinários e prepotentes comunistas o dinheiro da nação; impôs um conjunto de desvalores como primado de vida e princípios ideológicos.

O seu tempo de colher não mais existe; desperdiçou aquele, há muito passado, de semear.

Por isso, o tempo da desprezível presidente está esgotado, as exigências do país aumentaram, o povo saiu do torpor da falsa distribuição de rendas e de que país rico é país sem miséria. As rendas foram para as contas bancárias dos companheiros carreiristas e a miséria foi a igualdade distribuída.

Teve tudo nas mãos: povo, país, dinheiro, e nada fez. Agora, não é hora de olhar para trás, mas para o seu futuro ainda como governanta, porém, dos caquéticos irmãos Castro, em Cuba. Mas, com a perda do supremo posto, os velhacos sanguinários não mais verão utilidade com tamanho fardo e a enviarão para Maduro que, de primeira, passará a bola para Cristina.

Nas ações atuais, há a lição de Alexis Tsipras, o primeiro-ministro da Grécia, também de esquerda, também semelhante em incompetência, porém, mais generoso com o seu país: renunciou ao cargo.

Esperemos, embora sabendo, de antemão, ser impossível, que ela tenha um resquício de vergonha e saia, de fininho, pelas portas do fundo.

(1) Personagem mitológica que encontrou a saída do labirinto de Creta.

Dr.ª em Língua Portuguesa; vice-presidente da Academia Brasileira de Defesa

 

Advertisements

Sobre liciomaciel

Velejador
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s