TUMA JR – LIVRO – download

mÃOZINHA

http://pt.slideshare.net/CelsoDaviRodrigues/livro-assassinato-de-reputaoes-tuma-junior

00b3e-xx7xqof1vle1xgbhp6b_pvj7kv0vk-itnjqrvycvvgodjqr6dofryvsn7mupxlahz4ib-dszjhh3fcedjh3_xs3yi0m-zvwc_f2t3auhcrlwtxmjrrxbanjnfdlavn070lmje7qzeym68vguxjtsjpnmgjmfi2vt-z-sot7fngzswzazhuddytn7zj7rjwcdn

rOMEUlIVRO

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

(do http/www.mujahdincucaracha.blogspot.com)

Tuma Jr. Lança Livro com Ataques a Lula – “O Barba”

.
O ex-secretário Nacional de Justiça Romeu Tuma Júnior lançou ontem (14/12/13) o livro Assassinato de Reputações – Um Crime de Estado, no qual ataca Luiz Inácio Lula da Silva e acusa o partido do ex-presidente, o PT, de utilizar a máquina do governo federal para montar dossiês contra adversários.
Tuma Júnior, que é delegado, foi secretário do Ministério entre 2007 e 2010, durante o segundo mandato de Lula na Presidência da República. Na época, foi demitido por suspeitas de envolvimento com a chamada máfia chinesa. Parte do conteúdo do livro foi revelada na edição da semana passada da revista Veja.
Em uma das acusações mais polêmicas feitas no livro lançado ontem, o delegado afirma que Lula foi informante da ditadura. Segundo escreveu Tuma Júnior, o então líder sindical repassava dados sobre greves sob o codinome de “Barba” ao Departamento de Ordem Política e Social (DOPS), onde atuava seu pai, Romeu Tuma. O petista ficou preso em 1980 por 30 dias no DOPS, após greves no ABC.
Segundo Tuma Júnior, ao dar informações ao governo militar, Lula garantiu “privilégios” na prisão. O livro do delegado lista como privilégios noites de sono em um sofá do DOPS e uma visita à mãe, dona Lindu, que estava gravemente doente.
Procurado, o Instituto Lula informou ontem que o ex-presidente não iria fazer comentários.
Reputações.
Boa parte do livro é dedicada ao que o delegado chama de “assassinato de reputações”. Diz que o então ministro da Justiça e hoje governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, o assediava para que deixasse vazar documentos que prejudicariam adversários. Ele cita o caso do cartel que começou a ser investigado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal em 2008.
Segundo Tuma Júnior, “começou a sair na imprensa que vinha informação da Alstom envolvendo os tucanos. Um dia chegou o documento da Suíça, em nome da secretaria. Falei para não mandarem para o Ministério Público ainda: ‘Lacrem o envelope, tragam para mim e avisemos ao ministro, porque chegou a bomba dos documentos da Alstom“, escreve. As informações tinham como alvo principal Robson Marinho, ex-chefe da Casa Civil do governo tucano de Mário Covas. Eram relatórios enviados voluntariamente pelo país europeu. O ex-secretário de Justiça relata que, mesmo sendo documentos compartilhados por poucas pessoas, eles acabaram vazando mesmo assim.
Ele também critica a ação de parte dos promotores paulistas. “É importante registrar: no Ministério Público de São Paulo existe uma ala que sempre protegeu tucanos de alta plumagem“.
Tuma Júnior também acusa outro ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, de pedir que o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), fosse investigado após dizer que Lula sabia do mensalão. A ordem ao ministro, diz Tuma Júnior, teria sido dada por Gilberto Carvalho, braço direito do ex-presidente. Carvalho afirma que vai processar o delegado.
‘Armação’. 
O ex-secretário Nacional de Justiça atribui a sua demissão do cargo, em 2010, a uma “armação” do governo Lula com o Estado.
Em 5 de maio de 2010, o jornal publicou reportagem revelando que a Polícia Federal tinha interceptado gravações e e-mails ligando-o a Li Kwok Kwen, o Paulo Li, acusado de ser um dos chefes da máfia chinesa em São Paulo.
A quadrilha era suspeita de ser especializada em contrabando de telefones celulares e venda de vistos permanentes.
A pergunta que faço é: o que era mais importante para o Estadão noticiar? A foto do ‘chefe da máfia’, um chinês, com o secretário Nacional de Justiça na China, ou entregando um presente para o presidente Lula (…)? Eu respondo: é óbvio que, se não fosse armação do governo com o jornal, se o indivíduo fosse mesmo um mafioso, o Lula estaria na capa do Estadão e não eu“, escreve, referindo-se ao fato de o então suspeito de integrar a máfia chinesa aparecer em várias fotos ao lado de autoridades da República.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

9 respostas para TUMA JR – LIVRO – download

  1. Moiseis Moreira Alves disse:

    Não foram as FFAA que criaram essa situação, foram os civis que pediram, estão aí pelo voto. Quem de fato ama nossa Pátria, clama por “um tranco de verdade”, mas com inteligência e oportunidade, sem deixar a emoção suplantar a razão. parabéns ao General.

  2. Carlos disse:

    Reupa o livro, por favor. O link está quebrado.
    4shared, Mega, Uploaded… qualquer lugar.

  3. Pingback: Lei de Talião entra em vigor no Brasil | RS Notícias

  4. Pingback: MEMORIAL 31 DE MARÇO DE 1964 | RS Notícias

  5. Pingback: » Memorial 31 de março de 1954

  6. Lessandro disse:

    link quebrado!!!!

  7. eduardo disse:

    licio Maciel ola por favor tem como vc disponibilizar o link novamente

  8. túlio disse:

    Licio Maciel pode por favor enviar o livro para o meu e-mail tuliostephanini@yahoo.com.br, de qualquer forma vc está de parabéns pelo blog!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s