BRASIL

Meu candidato ao ‘Oscar’ dos milicos!

Entrada x
recebido de um colega da TURBRAN –  Gen Leite 07:08 (Há 1 hora)

Conheça um pouco da vida da caserna onde se ensina a amar o Brasil e a defendê-lo custe o que custar, até mesmo com o sacrifício da própria vida. Em que outra profissão existe algo igual?

====================================================================================================

 

De: Antonio Mesquita
Enviada em: domingo, 19 de fevereiro de 2017 06:04
Para: undisclosed-recipients:
Assunto: Meu candidato ao ‘Oscar’ dos milicos!

 

 

Meu candidato ao ‘Oscar’ dos milicos!

Com um abraço.

Johnson.

 

Meu candidato ao ‘Oscar’ dos milicos!

O Exército divulgou em sua página do YouTube os finalistas do Festival de Filmes Militares 2016.

São dezesseis filmes, alguns excelentes, como o Peso da Guerra, de Alexandre Almeida.

O candidato do blog é esse aí embaixo. ‘Os primeiros dias de um Soldado’ consegue captar a essência da vida militar em seu nascedouro, em momentos que jamais serão apagados da memória dos jovens recrutas.

Belo trabalho da equipe do velho 14.

CLIQUE AÍ

Maozinha11

https://www.youtube.com/watch? v=KlhVE-IdDT4&list= PLnkYkTv4HbMby6MZ- ljCdOVE2WpT1blO-&index=11

 

 

 

 

Área de anexos

Visualizar o vídeo O Peso da Guerra do YouTube

O Peso da Guerra

Visualizar o vídeo Os primeiros dias de um Soldado do YouTube

Os primeiros dias de um Soldado

Clique aqui para Responder ou Encaminhar

7,05 GB (47%) de 15 GB usados

Gerenciar

Termos de ServiçoPrivacidade

Última atividade da conta: Há 19 minutos

Detalhes

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

OS LARÁPIOS NÃO DESISTEM NUNCA…

blocos-nova-ordem-mundial

domingo, 6 de novembro de 2016

MUITO PRAZER, EU SOU A NOVA ‘NOVA ORDEM MUNDIAL’

E, sim, eu cheguei para evitar o suicídio do Ocidente.

Por Christina Fontenelle 06/10/2016

Há cerca de 6 anos, houve uma ruptura no grupo de magnatas mundiais, donos das maiores corporações empresariais de todos os ramos de negócios, que pretendiam concretizar o projeto da Nova Ordem Mundial (grupo que acabou por levar o nome do próprio projeto: NOM ou NWO, em inglês). Projeto de dominação do mundo, que formaria uma aldeia global dividida em blocos continentais, sob um governo mundial aos moldes comuno-fascistas. Lógico, o poder ficaria nas mãos daqueles magnatas e cada bloco (União Européia, União das Repúblicas Socialistas da América Latina, etc) passaria a desempenhar papel específico, econômica, política e socialmente, segundo as determinações daquele grupo de poder. Abaixo, um quadro aproximado de quais viriam a ser tais blocos. A maior e mais importante barreira encontrada para a implantação de tal projeto eram os valores sociais e morais judaico cristãos, pilares da sociedade ocidental, porque estes valores e costumes prezam o indivíduo, sua liberdade (livre arbítrio) e sua ‘semelhança’ com o Deus criador. Toda a civilização ocidental e seu desenvolvimento, que caminhou sempre para buscar aprimorar as relações mais harmoniosas e justas possíveis entre os seres humanos, basearam-se nestes valores. Para destruí-los, e, portanto, tal civilização, o projeto da NOM associou, aos poucos, os magnatas aos comunistas e aos jihadistas muçulmanos, também inimigos do Ocidente e de sua cultura. O maior “laranja” de todos os tempos, o senhor George Soros, foi o agente que tinha por trás de si os sauditas, as máfias governamentais chinesa e russa, e, claro, alguns dos maiores magnatas do planeta. Reengenharia social (gayzismo, feminismo, ideologia de gênero, abortismo etc) e mentiras globais, como o aquecimento global, foram as principais estratégias usadas para que o projeto pudesse vir a ser bem sucedido. Levar aos governos dos países representantes do califado e do socialismo foi imprescindível para que aquelas estratégias fossem aplicadas com sucesso. Mas, sempre souberam que chegaria o dia em que comunistas e jihadistas brigariam entre si e contra os próprios magnatas pelo poder sobre o grande império mundial. Chegou bem mais cedo do que imaginavam e com um agravante – os magnatas não tinham ainda o poder que deveriam ter sobre o Ocidente. Os comunistas, liderados por Putin, e os senhores do califado, através de seu principal braço armado – a Irmandade Muçulmana + Estado Islâmico – saíram do controle. Cresceram em território e em poder, inclusive bélico (financiados pelos próprios magnatas). A ampla ascensão da esquerda em toda a América Latina, por meio do projeto comunista do Foro de São Paulo; a falsa Perestroika russa (que supostamente teria instaurado naquela terra um regime democrático eleitoral); a também pseudo abertura econômica da China (ainda que claramente sob o regime de um único e poderoso partido político); a Primavera Árabe e a expansão do Estado Islâmico; a consolidação da União Européia e a criação do Euro; entre tantos outros eventos de grande impacto mundial – tudo obra e graça da NOM. Então, aconteceu o racha dentro da NOM. Parte do grupo decidiu insistir no projeto suicida. Soros e gente muito poderosa do partido Democrata americano, como Obama e os Clinton, por exemplo, fazem parte deste grupo. Outra parte da NOM optou por abortar o projeto na linha que vinha seguindo e fundar um outro, seguindo outra estratégia. Surgiu a Nova Nova Ordem Mundial (NNOM ou NNWO, em inglês), que foi a responsável pelo ressurgimento da direita e do conservadorismo no mundo. O enorme crescimento do conservadorismo nos meios virtuais de comunicação (sim, os conservadores e a direita dominam com larga vantagem o mundo virtual), o aparecimento de inúmeros movimentos conservadores populares por todo o mundo, a crescente conquistas de espaços em universidades, na política, e em tantos outros setores ora exclusividade da esquerda – tudo isso é um fenômeno mundial e é consequência direta do surgimento desta NNOM. Donald J Trump, nos EUA e Jair Messias Bolsonaro, no Brasil, são apenas dois dos exemplos da nova geração de políticos que vem por aí. A saída do Reino Unido da União Européia e a mais recente denúncia da Unesco sobre a situação ditatorial na Venezuela também são outros sintomas dessa transformação que está por vir. https://www.youtube.com/watch?v=ov5kvWSz5LM O fim das armadilhas acorrentadoras e lucrativas (para os magnatas da antiga NOM) da teoria mentirosa do aquecimento global provocado pelos homens; o total afastamento do aprisionador discurso politicamente correto; o desmantelamento das mentiras sobre dívidas históricas de raças com outras raças; o desmascaramento dos planos comunistas e do califado para dominar o mundo e destruir o Ocidente – tudo isso virá ficando evidente com mais e mais força, revelando a verdade para um mundo cheio de pessoas enganadas. Mas, por que aconteceu esse ‘racha’ dentro da antiga NOM? Porque os dissidentes são pessoas boazinhas que colocaram as mãos nas consciências? Não. Foram duas as razões básicas para que essa ruptura acontecesse. A primeira delas diz respeito ao tempo. Tempo que demorou e que demoraria mais ainda para concretizar todo o projeto de reengenharia social. A segunda foi a questão da evidente ameaça ao desmantelamento de toda a infraestrutura e do desenvolvimento tecnológico alcançado até agora, quase que exclusivamente construído pelo Ocidente. Sempre foi do interesse da NOM destruir pessoas, famílias e aniquilar valores que constituíram as bases fundamentais da civilização ocidental, do Ocidente, porém, jamais, em tempo algum, cogitou-se ou se pretendeu destruir as bases de infraestrutura e de desenvolvimento científico-tecnológico incrível e unicamente alcançado por esta civilização. De que valeria dominar um mundo destruído e hostil à sobrevivência humana, principalmente sem acesso ao luxo e ao conforto proporcionados pelo desenvolvimento já alcançado? A partir do momento em que toda esta estrutura já estabelecida se viu sob a mais que previsível ameaça de futura destruição, por meio do avanço do terrorismo e da crescente ameaça de guerra nuclear/biológica/eletromagnética por parte de países comunistas, aconteceu o racha dentro do grupo que dava andamento ao projeto da NOM. Parte do grupo decidiu insistir no projeto suicida. Soros e gente muito poderosa do partido Democrata americano, como Obama e os Clinton, por exemplo, fazem parte deste grupo. Outra parte da NOM optou por abortar o projeto na linha em que vinha seguindo e fundar um outro, seguindo outra estratégia. Surgiu a Nova Nova Ordem Mundial (NNOM), que foi a responsável pelo ressurgimento da direita e do conservadorismo no mundo. Os comunistas passaram a ameaçar o Ocidente com uma guerra de grandes proporções a partir do momento em que imaginavam ter o domínio sobre a maior Zona de Retaguarda do planeta – a América do Sul, principalmente com os países que estão ‘para cá’ da muralha andina. Com quase todo o continente governado pelo por membros do braço comunista latino-americano, o Foro de São Paulo, fundado nos anos 90, por Lula e por Fidel Castro, a Rússia, principalmente, achou que poderia acelerar seus planos de destruição dos EUA e de parte da Europa (já invadida pelos parceiros muçulmanos do Califado). E tudo isso com pleno apoio do governo ideologicamente fiel ao projeto da NOM comunista de Obama/Hillary Clinton. Ou vocês não sabiam dos planos da NOM/Rússia de dominar os EUA por dentro e através das fragilidades do sistema democrático? (https://www.youtube.com/watch?v=iK4kZSU-5Cg). Não sabe o que é Zona de Retaguarda? Leia e/ou ouça nestes links: – https://www.amazon.com.br/Zona-Retaguarda-estrat%C3%A9gia-nuclear-Vermont-ebook/dp/B00E9W69IChttps://www.clubedeautores.com.br/book/201915–ZRBRASIL#.WB65X_krLcc ou https://www.clubedeautores.com.br/book/201921–ZRBRASIL_colorido#.WB65k_krLcchttps://www.youtube.com/watch?v=pst47X9KnG8 Não sabe o que é o Foro de São Paulo? Leia e/ou ouça nestes links: – https://www.youtube.com/watch?v=Gs4fj8h-XyAhttp://www.olavodecarvalho.org/semana/080128dc.htmlhttp://www.midiasemmascara.org/mediawatch/noticiasfaltantes/foro-de-sao-paulo.html Acontece que este domínio não era real, além de ser frágil. Resultado da precipitação das garras comunistas sobre o continente latino americano? O Paraguai livrou-se de um governo comunista e, de lá para cá, vem se desenvolvendo assustadoramente; a Argentina mandou a Kirshner passsear; o Brasil tirou o PT do poder, apesar de não ter se livrado da ameaça populista e Fabiana; o povo da Colômbia rejeitou o acordo de paz e anistia com os comuno-narco-guerrilheiros das FARC; e a Venezuela voltou às ruas… E vem muito mais por aí. As coisas ainda estão confusas para que compreendamos para que lado o mundo, os EUA e o Brasil irão. E assim estão pelo simples fato de que estamos vivendo no meio de uma guerra acirrada, nestes lugares particularmente, para a ocupação de espaços. São batalhas diárias; jogadas estratégicas de todos os lados envolvidos nesta guerra. Ora um lado vence uma batalha, ora o outro. Mas, o fato é que a guerra está vencida, lá na frente. E os comunistas sabem que não serão eles os vencedores. Atentem: quando Putin alardeia estar lutando contra a Nova Ordem Mundial, refere-se à Nova NOM. Quando Donald Trump declara guerra contra a NOM, refere-se, por sua vez a aquela antiga NOM. Enfim, por uma questão de sobrevivência do Ocidente como o conhecemos hoje, entra em cena mais este componente na disputa pelo poder. É a Nova Nova Ordem Mundial, também formada por grandes corporações, mas que, pelo menos pelos próximos 30 anos, estará aliada aos homens que querem viver livres, em paz e em regimes democráticos aperfeiçoados. Ainda é muito cedo para definir com precisão quem são os homens, as corporações e as instituições que estão por trás deste novo componente. Eu desconfio de alguns, de outros tenho certeza, mas ainda é cedo e imprudente citá-los nominalmente. Dependerá dos futuros governantes do Brasil colocar o país no patamar de parceiro consciente de sua extrema importância como Zona de Retaguarda. Um país que precisará se comportar como parceiro fundamental e indispensável das forças ocidentais – e não mais como mero coadjuvante vítima de governantes que se comportam como serviçais, enriquecendo a si e aos amigos, jogando nosso país e nosso povo no eterno ‘em desenvolvimento’. Links interessantes e relacionados: https://agendaglobal21.wordpress.com/2011/10/22/bombas-eletromagneticas-e-bombs-pem-emp/ https://agendaglobal21.wordpress.com/2011/05/05/arma-de-terremotos-terremoto-no-japao-natural-ou-artificial/ https://agendaglobal21.wordpress.com/2011/11/06/aurora-boreal-no-sul-dos-eua-detonacao-nuclear-de-alta-altitude/ https://www.facebook.com/embaixadaresistencia/videos/1600309896951956/ http://memoriamidiasemmascara.blogspot.com.br/2008/09/quem-o-inimigo.html#.WBBPxfkrLcc Partilhar Postado por Rebecca Santoro e Christina Fontenelle às 04:37 Enviar por e-mail BlogThis! Compartilhar no Twitter Compartilhar no Facebook Compartilhar com o Pinterest 10 comentários: Enio Fontenelle disse… Texto maravilhoso, Christina. Uma visão estratégica digna de uma medalha. 6 de novembro de 2016 11:33 paulo cruz disse… Sem palavras. Todos texto serve de “bússola”. Basta ficarmos quietos, acompanhando, diariamente, os fatos! 6 de novembro de 2016 12:03 vera lúcia Steim disse… O planeta está passando por uma digamos “peneirada”. A Nova Era já está acontecendo desde o inicio desta década.chegou a hora do povo fazer a escolha: o caos ou a paz. 7 de novembro de 2016 14:54 vera lúcia Steim disse… O planeta está passando por uma digamos “peneirada”. A Nova Era já está acontecendo desde o inicio desta década.chegou a hora do povo fazer a escolha: o caos ou a paz. 7 de novembro de 2016 14:54 Mariano disse… MUNDO ALIENADO: Para ser menos enganado neste mundo é preciso ter conhecimento de base obtido através das fontes primárias, ou seja, conhecer bem os fundamentos das coisas e de como elas funcionam para ter ideia da natureza de cada situação. Como vivemos em um mundo promíscuo pela própria natureza, maltratado e alienado em suas bases, verdades e mentiras se misturam a ponto de confundir quase todos, principalmente a maioria que não tem conhecimento fundamentado, onde certas mentiras deslavadas contém algumas verdades para dar credibilidade, como também em certas verdades contém mentiras embutidas no contexto, com propósitos definidos. 7 de novembro de 2016 15:50 Mariano disse… TERCEIRO MILÊNIO: Nesse início turbulento do terceiro milênio com grandes e profundas mudanças em andamento no mundo, o processo de globalização entre os países emergentes, não emergentes e os países do primeiro mundo está em um momento de plena ebulição econômica, social, religiosa e geográfica. Dessa miscelânea toda de múltiplos interesses, forças e poderes, emergirá o mundo real das próximas gerações. 7 de novembro de 2016 15:55 Zelia Toledo disse… Parabéns. Texto incrível. Extremamente bem explicado. E , por isso, facilmente entendi El mesmo em face da complexidade da matéria. Obrigada. Será muito útil. 7 de novembro de 2016 17:58 MR PHP7 disse… TExto Sensacional. 8 de novembro de 2016 20:44 MR PHP7 disse… Este comentário foi removido pelo autor. 8 de novembro de 2016 20:45 Vitor Marcolini disse… ESTE TEXTO MUITO BEM EXPLICADO…..REALMENTE QUEM TIVER UM POUCO SÓ DE VISÃO PODE OBSERVAR OS FATOS QUE V~EM OCORRENDO. 9 de novembro de 2016 11:47 Postar um comentário Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial Assinar: Postar comentários (Atom) AddThis FACEBOOK SIGA-ME VISITE O SITE OFICIAL Arquivo do blog ▼  2016 (4) ▼  Novembro (3) SERÁ MESMO QUE A MAIOR PARTE DA POPULAÇÃO AMERICAN… Nice to meet You! I’m the NEW New World Order… MUITO PRAZER, EU SOU A NOVA ‘NOVA ORDEM MUNDIAL’ ►  Outubro (1) ►  2014 (5) ►  2009 (1) ►  2008 (88) Quem sou eu Rebecca Santoro e Christina Fontenelle Visualizar meu perfil completo

Today Deal $50 Off : https://goo.gl/efW8Ef

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

MEU NOVO ENDEREÇO

e outras coisas mais…

 

eliciotampa

MUDEI DE ENDEREÇO :

3234 W FAIR OAKS AVE.

TAMPA, FL 33611.   USA

(residência de minha filha e de meu genro, até a nova eleição PRESIDENCAL do Brasil…se houver…)

Quando servi na CMBW, minha filha (14 anos) namorou um rapaz, nosso vizinho na Muriel St., em Rockville. Posteriormente, casaram e moram em Tampa. É pra lá que eu vou descansar e empurrar o carrinho de minha bisneta na beira do Golfo … além de conhecer a ICW (IntracoastalWaterway) mais de perto, de Tampa a Key West… num veleiro  de oceano, “Tom Thumb”, de 22´ ( 6,6 metros de comprimento), que construirei, do projetista Bruce Roberts ,  (um pouco menor que o inesquecível Krum…). Será que dá tempo ???

tomthumb

O veleiro da foto acima foi aumentado com uma prancha de popa e um girupés…parecendo bem maior.

Bahamas, Key West, Havana, etc…

 

 

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

NOVO LIVRO “esquecidos HEROIS DA FEB”

De Adriano Pires Ribas 


Página 1 de 3

681.RECADO

Verde oliva

MAX WOLFF

Adriano Pires Ribas

Piressim.67@gmail.com

01 Jan 2017

Divulgando página do livro ‘(esquecidos) HERÓIS DA FEB’ a publicar

2º. Tenente MAX WOLFF Filho

Tivemos muitos, muitos mesmo, gestos de bravura de nossos irmãos brasileiros na frente italiana. Mas, não

se pode falar de nossos heróis da FEB sem citarmos este, o mais conhecido dentre os heróis paranaenses. Nascido

em Rio Negro-PR, em 29 de julho de 1912, alistou-se, aos 18 anos, no 15º Batalhão de Caçadores, Curitiba-PR,

unidade extinta. Então instalada onde hoje está o 20º Batalhão de Infantaria Blindada ("Batalhão Sargento Max

Wolff Filho"). Foi voluntário da Força Expedicionária Brasileira (FEB) e lá brilhava entre os companheiros pelo

destemor, renúncia e espírito de sacrifício, oferecendo-se para as mais arriscadas missões das quais sempre se saia

triunfante.

São raros e polêmicos os documentos que mostram quem foi Max Wolff Filho. Daí resultou difícil organizar

os dados biográficos dele, cuja história persiste na memória de brasileiros, diz-se. Consta que esse estudo, feito pelo

Cel. Adhemar Rivermar de Almeida (está manuscrito e não foi editado). Diz-se que lá está a mais completa biografia

de Wolff, já escrita. Max Wolff Filho. Posteriormente o encontramos no Rio de Janeiro juntamente com outros

milita res do 3.° R.I, integrando a Polícia Municipal do Distrito Federal convidados a ingressar na instituição pelo

então Maj. Euclides Zenóbio da Costa que naquele momento a organizava. Imagino que pegou uma licença

temporária no Exército, sem vencimentos, ou, penso que mais provável foi, pelo comando da Região, ou do EB,

colocado a disposição para ajudar. De outra forma, como seria possível?

Max foi considerado incapaz temporária mente nos exames médicos, para seguir com a FEB. No entanto

seu desejo de embarcar era tal que se submeteu, com sucesso, a uma cirurgia e pôde seguir para a Itália com o 11.°

Rl. Na frente de combate, estava ele sempre disposto a organizar patrulhas, com o objetivo de reconhecer as linhas

aliadas, e na procura de companheiros feridos ou perdidos. Consta que por isso Max Wolff recebeu o apelido de

“Rei dos Patrulheiros”. Muito admirado pelo trato amável que tinha para com os colegas e particularmente pelos

seus comandados, e pela, continuamente demonstrada bravura, tornou-se popular entre os elementos do 1º/ 11.°

R.l.

Fotos clássicas do Sgt Max Wolff

O dia 12 de abril de 1944 foi fatídico para Max. Havia notícias da grande movimentação dos alemães, sem a

certeza de se tratar de um reforço, ou a retirada total ou parcial deles. Foi determinado que cada batalhão enviasse

patrulhas para a verificação, se possível, trazendo prisioneiros para obtenção de informações. Com eles estavam

correspondentes de guerra com permissão para os acompanhar. Como sabiam que aquele era um momento difícil,

Max convenceu os correspondentes a não seguirem com a patrulha, e acertou. Seu grupamento era composto de 13

homens. Maioria pertenciam ao pelotão especial do 1º/ 11.° R.I. Não é possível afirmar hoje que a população de

Montese conheça em profundidade a história de Max Wolff Filho. Mas seu nome ficou gravado na história da

cidade, e é visto pela população como o principal herói libertador. A intenção da população era homenageá-lo com

um monumento no local onde tombou com componentes de sua patrulha. Fato que aconteceu em 12 de abril de

Página 2 de 3

  1. A patrulha, com Max e mais 12 homens, parte para averiguar o terreno. Ao se aproximarem de um casario são

atingidos por disparos de metralhadora, a partir do interior de uma das casas. Max Wolff morreu na hora, além

disso o terreno minado, ocasionou a morte de mais soldados. O que marcou profundamente a patrulha, bem como

de seus companheiros do 11.° R.l. e da própria população da cidade.

LA FORZA DI SPEDIZIONE BRASILIANA – A FORÇA EXPEDICIONÁRIA BRASILEIRA

Essa localidade recebe muitas denominações, entre as quais: Mazerno, Serreta, Riva di Biscia. Mas para os

brasileiros é a cota 742, que consta das cartas topográficas usadas pelos combatentes na época da guerra. Desse

modo, o monumento ao Max Wolff foi afixado sob uma árvore – diretamente no solo, ao lado de uma estrada

vicinal asfaltada.

Nas proximidades, estão situadas algumas casas esparsas, mais precisamente no local conhecido como Riva

di Biscia, onde também podem ser vistas placas indicativas de outras comunas, como é o caso de Monteforte, onde

ficava o observatório do comando brasileiro durante a invasão de Móntese. Do local do monumento, é possível

observar-se a cidade de Móntese, no alto, e as ravinas onduladas por onde a patrulha passou. A descrição feita pelos

combatentes do 11.° R.l. foram depois transcritas pela historiografia militar brasileira.

Max Wolff é quase lenda também na Itália. Sua morte percorreu toda a frente de com bate brasileira,

repercutindo muito entre os soldados brasileiros, não somente os combatentes do 11.° R.I., ao qual ele pertencia.

Também entre os demais regimentos, visto a admiração que todos tinham por Max. Entre os ex-combatentes

brasileiros, e também na Itália, Max Wolff é visto como herói. Que sentimento é esse, que toca tão profundamente

soldados e civis?

Os expedicionários reuniram em torno de si a responsabilidade de, representando o Brasil, defender o

mundo e libertá-lo do agressor. Isso representava um ato de coragem que só poderia ser incorporado pelos “heróis”.

O herói tem a função de dar segurança e paz aos oprimidos, ele indica o caminho, torna-se um modelo a ser seguido

pelos demais.

Esse fato marcou profundamente a população e permeia o imaginário dos mais jovens, aqueles que ainda

não eram nascidos na época.

Max Wolff recebeu as seguintes condecorações: “Medalha de Campanha”; “Sangue do Brasil”; “Cruz de

Combate de 1.a Classe”; “Medalha Bronze Star”; e a “Medalha Silver Star”, essas duas últimas americanas. É

possível perceber o quanto a imagem de Max Wolff é forte e está ligada à ideia de libertação da cidade de Móntese.

Sobre a inauguração do monumento em homenagem a ele, a imprensa anunciou:

“No âmbito das celebrações do dia 25 de abril em Móntese, Serreto, Riva di Bis cia (fração de Mazerno) foi

inaugurada uma colunata para recordar o bravo herói brasileiro da Segunda Guerra Mundial, sargento da FEB, que

foi morto pelo fogo alemão no 12 de abril de 1945. Dois dias depois os soldados da FEB romperam a defesa alemã e

libertaram Móntese.”

O sentimento da perda daquele valente soldado marcou profundamente brasileiros e italianos. Acreditamos

que as dificuldades encontradas pelos soldados brasileiros já foram demonstradas anteriormente. A linha de defesa

alemã era quase inexpugnável, o último reduto da Linha Gótica, representado por Móntese com seus baluartes

inacessíveis ao redor, gerou pontos de similaridade entre um povo batido e os homens envolvidos na causa

libertadora. Consequentemente, a morte de Wolff é envolvida sob uma luz de um personagem heroico. O mesmo

processo será depois extensivo a outros brasileiros mortos em combate, sentimento expresso pela população

através dos monumentos erigidos nesses locais.

O grupamento de Max Wolff recebeu o apelido de “pelotão SS”, em virtude da dispo sição de luta que

possuía esse grupo. Particularidade que os combatentes viam na tropa da SS alemã. Mas, outro combatente

brasileiro, Leonércio Soares em seu livro Verdades e vergonhas da Força Expedicionária Brasileira, conta

que Wolff não aceitava essa associação.

Página 3 de 3

HISTÓRICO DO MONUMENTO

A cidade de Montese, para celebrar os 56 anos do fim da Segunda Guerra, quis homena gear um dos

responsáveis pela sua libertação. A pessoa escolhida foi o sargento Max Wolff Filho, que pertenceu ao 11.° R.l. da

Força Expedicionária Brasileira. Pelas ações de guerra das quais participou, o sargento brasileiro deixou seu nome

gravado na história de Montese, e a figura de Max Wolff, lá como no Brasil, é lembrada nos dias de hoje como o

herói que lá per deu sua vida. Os italianos chamam esse monumento ao sargento Max Wolff Filho de cippo, o

mesmo que colunata. É feito em pedra e, na concepção dos seus autores, procurou – se manter a rusticidade da

pedra. Ela é mais larga na base e afina na extremidade, como um marco inserido no solo a indicar o local. A altura é

de aproximadamente 1,30 m e a largura da base é de 0,80 m. A pedra possui o corte irregular e está assentada

diretamente no terreno.

. Max Wolff, um símbolo, quase uma lenda.

Próximo à ponta da colunata, foi afixada uma placa de bronze com os seguintes dizeres:

“Qui cadde combatiendo per la Liberazione di Móntese el 12 aprile. Max Wolff Filho 2°

sergen te della Força Expedicionária Brasileira – FEB. Serreta de Mazerno, 12 aprile 2001.

Ambasciata Del Brasile, ufficio militare e Amministrazione común ale di Móntese”.

Tradução: aqui morreu combatendo pela libertação de Montese, no dia 12 de abril, o 2.° Sargento Max

Wolff Filho, da Força Expedicionária Brasileira – FEB. Serreta de Mazerno, 12 de abril de 2001. Embaixada

Brasileira, adi do militar e administração da cidade de Montese.

Sua morte. Consta que naquele dia, o primeiro objetivo de sua patrulha eram três casas a menos de um

quilômetro. Consta que Wolf havia partido com seus homens, por sebes e ravinas, percorrendo a denominada

¨terra de ninguém¨. O grupo cercou as três construções em ruínas  e o sargento empurrou com o pé a porta de uma

delas, nada encontrando.

Às duas e meia da tarde a patrulha estava a menos de cem metros do último objetivo a ser atingido e

ocupado em definitivo, novo grupo de casas sobre uma lombada. Os alemães começaram a atirar bloqueando a

progressão dos brasileiros com uma chuva de projéteis de metralhadoras e granadas-de- mão. Wolf deu poucos

passos e uma rajada o derrubou de bruços. Soltaram em seguida foguetes luminosos, pedindo fogo de suas baterias

na retaguarda e os projéteis da artilharia nazista assobiaram no ar explodindo no caminho da patrulha. Os homens

que sobraram, só conseguiram retornar ao PC do 11º.RI com a noite fechada.

Em reconhecimento aos seus predicados de herói da Força Expedicionária Brasileira, foi promovido

postmortem ao posto de 2º Tenente e foi agraciado com as seguintes medalhas: Cruz de Campanha, Sangue do

Brasil, Combate de 1ª Classe e Bronze Star (americana). Em 2010, o Exército Brasileiro criou a Medalha Max Wolff

Filho, como forma de premiar os subtenentes e sargentos da Força Terrestre, do serviço ativo ou na inatividade,

agraciando àqueles que demonstrem características e/ou atitudes evidencia das pelo herói Max Wolff, destacando-

se pela dedicação à profissão e pelo interesse no seu aprimora mento. De modo a manter viva a memória deste

valoroso herói da 2ª Guerra Mundial, o Exército Brasileiro dignificou as seguintes Organizações Militares com a

Denominação Histórica “Sargento Max Wolff Filho”:

– Escola de Sargentos das Armas (EsSA), localizada em Três Corações (MG), estabelecimento de ensino

voltado para a formação dos futuros sargentos combatentes do Exército;

– 20º Batalhão de Infantaria Blindado (20º BIB), em Curitiba (PR), Organização Militar que teve a honra

de incorporá-lo.

Ali no pátio interno do 20º Batalhão de Infantaria Blindado, em Curitiba (PR), foi inaugurada a Praça

Sargento Max Wolff Filho mostrando-o em conjunto de estátuas a frente de sua patrulha no que seria a entrada do

grupo em Montese, Itália.

Em 2010, o Exército Brasileiro criou a Medalha Max Wolff Filho, como forma de premiar os subtenentes e

sargentos da Força Terrestre, do serviço ativo ou na inatividade, agraciando àqueles que demonstrem

características e/ou atitudes evidenciadas pelo herói Max Wolff, destacando-se pela dedicação à profissão e pelo

interesse no seu aprimoramento.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

livro do Professor Caio Maciel sobre o Nordeste

livro

caiomaciellivro

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

livro do Coronel MAYA PEDROSA: NO TEMPO DA GUERRA FRIA (biografia)

mayap

Um livro corajoso!

Image | Publicado em por | Publicar um comentário

NADA MUDOU

nadamucou

Image | Publicado em por | 2 Comentários